terça-feira, 29 de março de 2011

Os Velhos

Bem sei que nem todos sofrem com as diferenças sociais, mas o meu coração fica pequenino com a impotência que sinto por não poder fazer nada para melhorar a vida deles. Na sua maioria são até desprezados pela sociedade que lhes deve tudo. E o meu coração encolhe por não poder fazer nada.

Imagem daqui

Lembro um Natal passado.
No dia 24, eram seis da tarde e a loja ia fechar. Um senhor, tomava o seu chá na padaria ao lado. Impávido e sereno. Sem sequer ouvir que a loja ia fechar. Nem o relógio olhava, porque não tinha. Tomava um chá quentinho e aquecia as mão na chávena... E ficou ali... até alguém lhe dizer que tinha de sair. Não estava atrasado... porque não tinha ninguém à sua espera.

Dói o coração pensar que amanhã podemos estar naquele mesmo lugar, com uma chávena de chá.
É horrível.

Sendo certo que tirei Enfermagem e que, em estágios, passei por unidades de cuidados continuados e lares de terceira idade, desenvolvi uma arma de defesa que não me permitia deixar a emoção fluir quando era posta de frente com dificuldades e desigualdades sociais.
Algumas foram as pessoas que se foram nos meus braços, quando eu tentava amparar-lhes, pelo menos, a dor. Com tal, cobri o coração com um manto que não me permitia sofrer por eles e pela família... Se assim não fosse, quem ia precisar de internamento era eu!
No entanto, e por já ter uma vida profissional numa outra área que não a do meu curso, devo ter ficado mole ou perdi o manto de protecção do coração...

2 comentários:

*Sininho* disse...

A mim também me custa imenso. Não consigo afastar o pensamento "e se fossem os meus avós..." E é mesmo muito triste...

Close up! disse...

Custa muito,sim!
Por estas e outras é que não poderia ser um profissional de saúde como tu...
E então quando vi o caso daquela velhinha que já estava morta há vários anos em casa,é que não consegui deixar de me perguntar quantas mais pessoas estariam naquela situação...
Não existe nada pior do que a solidão!